Artigos

1.7E: Exercícios


A prática leva à perfeição

Adicionar e subtrair frações com um denominador comum

Nos exercícios a seguir, adicione.

Exercício ( PageIndex {1} )

( dfrac {6} {13} + dfrac {5} {13} )

Responder

( frac {11} {13} )

Exercício ( PageIndex {2} )

( dfrac {4} {15} + dfrac {7} {15} )

Exercício ( PageIndex {3} )

( dfrac {x} {4} + dfrac {3} {4} )

Responder

( frac {x + 3} {4} )

Exercício ( PageIndex {4} )

( dfrac {8} {q} + dfrac {6} {q} )

Exercício ( PageIndex {5} )

(- dfrac {3} {16} + left (- dfrac {7} {16} right) )

Responder

(- frac {5} {8} )

Exercício ( PageIndex {6} )

(- dfrac {5} {16} + left (- dfrac {9} {16} right) )

Exercício ( PageIndex {7} )

(- dfrac {8} {17} + dfrac {15} {17} )

Responder

( frac {7} {17} )

Exercício ( PageIndex {8} )

(- dfrac {9} {19} + dfrac {17} {19} )

Exercício ( PageIndex {9} )

( dfrac {6} {13} + left (- dfrac {10} {13} right) + left (- dfrac {12} {13} right) )

Responder

(- frac {16} {13} )

Exercício ( PageIndex {10} )

( dfrac {5} {12} + left (- dfrac {7} {12} right) + left (- dfrac {11} {12} right) )

Nos exercícios a seguir, subtraia.

Exercício ( PageIndex {11} )

( dfrac {11} {15} - dfrac {7} {15} )

Responder

( frac {4} {15} )

Exercício ( PageIndex {12} )

( dfrac {9} {13} - dfrac {4} {13} )

Exercício ( PageIndex {13} )

( dfrac {11} {12} - dfrac {5} {12} )

Responder

( frac {1} {2} )

Exercício ( PageIndex {14} )

( dfrac {7} {12} - dfrac {5} {12} )

Exercício ( PageIndex {15} )

( dfrac {19} {21} - dfrac {4} {21} )

Responder

( frac {5} {7} )

Exercício ( PageIndex {16} )

( dfrac {17} {21} - dfrac {8} {21} )

Exercício ( PageIndex {17} )

( dfrac {5y} {8} - dfrac {7} {8} )

Responder

( frac {5y-7} {8} )

Exercício ( PageIndex {18} )

( dfrac {11z} {13} - dfrac {8} {13} )

Exercício ( PageIndex {19} )

(- dfrac {23} {u} - dfrac {15} {u} )

Responder

(- frac {38} {u} )

Exercício ( PageIndex {20} )

(- dfrac {29} {v} - dfrac {26} {v} )

Exercício ( PageIndex {21} )

(- dfrac {3} {5} - left (- dfrac {4} {5} right) )

Responder

( frac {1} {5} )

Exercício ( PageIndex {22} )

(- dfrac {3} {7} - left (- dfrac {5} {7} right) )

Exercício ( PageIndex {23} )

(- dfrac {7} {9} - left (- dfrac {5} {9} right) )

Responder

(- frac {2} {9} )

Exercício ( PageIndex {24} )

(- dfrac {8} {11} - left (- dfrac {5} {11} right) )

Prática Mista

Nos exercícios a seguir, simplifique.

Exercício ( PageIndex {25} )

(- dfrac {5} {18} · dfrac {9} {10} )

Responder

(- frac {1} {4} )

Exercício ( PageIndex {26} )

(- dfrac {3} {14} · dfrac {7} {12} )

Exercício ( PageIndex {27} )

( dfrac {n} {5} - dfrac {4} {5} )

Responder

( frac {n-4} {5} )

Exercício ( PageIndex {28} )

( dfrac {6} {11} - dfrac {s} {11} )

Exercício ( PageIndex {29} )

(- dfrac {7} {24} + dfrac {2} {24} )

Responder

(- frac {5} {24} )

Exercício ( PageIndex {30} )

(- dfrac {5} {18} + dfrac {1} {18} )

Exercício ( PageIndex {31} )

( dfrac {8} {15} ÷ dfrac {12} {5} )

Responder

( frac {2} {9} )

Exercício ( PageIndex {32} )

( dfrac {7} {12} ÷ dfrac {9} {28} )

Adicionar ou subtrair frações com denominadores diferentes

Nos exercícios a seguir, adicione ou subtraia.

Exercício ( PageIndex {33} )

( dfrac {1} {2} + dfrac {1} {7} )

Responder

( frac {9} {14} )

Exercício ( PageIndex {34} )

( dfrac {1} {3} + dfrac {1} {8} )

Exercício ( PageIndex {35} )

( dfrac {1} {3} - left (- dfrac {1} {9} right) )

Responder

( frac {4} {9} )

Exercício ( PageIndex {36} )

( dfrac {1} {4} - left (- dfrac {1} {8} right) )

Exercício ( PageIndex {37} )

( frac {7} {12} + frac {5} {12} )

Responder

( frac {29} {24} )

Exercício ( PageIndex {38} )

( frac {5} {12} + frac {3} {8} )

Exercício ( PageIndex {39} )

( frac {7} {12} - frac {9} {16} )

Responder

( frac {1} {48} )

Exercício ( PageIndex {40} )

( frac {7} {16} - frac {5} {12} )

Exercício ( PageIndex {41} )

( frac {2} {3} - frac {3} {8} )

Responder

( frac {7} {24} )

Exercício ( PageIndex {42} )

( frac {5} {6} - frac {3} {4} )

Exercício ( PageIndex {43} )

(- frac {11} {30} + frac {27} {40} )

Responder

( frac {37} {120} )

Exercício ( PageIndex {44} )

(- frac {9} {20} + frac {17} {30} )

Exercício ( PageIndex {45} )

(- frac {13} {30} + frac {25} {42} )

Responder

( frac {17} {105} )

Exercício ( PageIndex {46} )

(- frac {23} {30} + frac {5} {48} )

Exercício ( PageIndex {47} )

(- frac {39} {56} - frac {22} {35} )

Responder

(- frac {53} {40} )

Exercício ( PageIndex {48} )

(- frac {33} {49} - frac {18} {35} )

Exercício ( PageIndex {49} )

(- frac {2} {3} - (- frac {3} {4}) )

Responder

( frac {1} {12} )

Exercício ( PageIndex {50} )

(- frac {3} {4} - (- frac {4} {5}) )

Exercício ( PageIndex {51} )

(1+ frac {7} {8} )

Responder

( frac {15} {8} )

Exercício ( PageIndex {52} )

(1− frac {3} {10} )

Exercício ( PageIndex {53} )

( frac {x} {3} + frac {1} {4} )

Responder

( frac {4x + 3} {12} )

Exercício ( PageIndex {54} )

( frac {y} {2} + frac {2} {3} )

Exercício ( PageIndex {55} )

( frac {y} {4} - frac {3} {5} )

Responder

( frac {5y-12} {20} )

Exercício ( PageIndex {56} )

( frac {x} {5} - frac {1} {4} )

Prática Mista

Nos exercícios a seguir, simplifique.

Exercício ( PageIndex {57} )

  1. ( frac {2} {3} + frac {1} {6} )
  2. ( frac {2} {3} div frac {1} {6} )
Responder
  1. ( frac {5} {6} )
  2. (4)

Exercício ( PageIndex {58} )

  1. (- frac {2} {5} - frac {1} {8} )
  2. (- frac {2} {5} cdot frac {1} {8} )

Exercício ( PageIndex {59} )

  1. ( frac {5 n} {6} div frac {8} {15} )
  2. ( frac {5 n} {6} - frac {8} {15} )
Responder
  1. ( frac {25n} {16} )
  2. ( frac {25n-16} {30} )

Exercício ( PageIndex {60} )

  1. ( frac {3 a} {8} div frac {7} {12} )
  2. ( frac {3 a} {8} - frac {7} {12} )

Exercício ( PageIndex {61} )

(- frac {3} {8} div left (- frac {3} {10} right) )

Responder

( frac {5} {4} )

Exercício ( PageIndex {62} )

(- frac {5} {12} div left (- frac {5} {9} right) )

Exercício ( PageIndex {63} )

(- frac {3} {8} + frac {5} {12} )

Responder

( frac {1} {24} )

Exercício ( PageIndex {64} )

(- frac {1} {8} + frac {7} {12} )

Exercício ( PageIndex {65} )

( frac {5} {6} - frac {1} {9} )

Responder

( frac {13} {18} )

Exercício ( PageIndex {66} )

( frac {5} {9} - frac {1} {6} )

Exercício ( PageIndex {67} )

(- frac {7} {15} - frac {y} {4} )

Responder

( frac {-28-15y} {60} )

Exercício ( PageIndex {68} )

(- frac {3} {8} - frac {x} {11} )

Exercício ( PageIndex {69} )

( frac {11} {12a} cdot frac {9a} {16} )

Responder

( frac {33} {64} )

Exercício ( PageIndex {70} )

( frac {10y} {13} cdot frac {8} {15y} )

Use a ordem de operações para simplificar frações complexas

Nos exercícios a seguir, simplifique.

Exercício ( PageIndex {71} )

( frac {2 ^ {3} + 4 ^ {2}} { left ( frac {2} {3} right) ^ {2}} )

Responder

(54)

Exercício ( PageIndex {72} )

( frac {3 ^ {3} -3 ^ {2}} { left ( frac {3} {4} right) ^ {2}} )

Exercício ( PageIndex {73} )

( frac { left ( frac {3} {5} right) ^ {2}} { left ( frac {3} {7} right) ^ {2}} )

Responder

( frac {49} {25} )

Exercício ( PageIndex {74} )

( frac { left ( frac {3} {4} right) ^ {2}} { left ( frac {5} {8} right) ^ {2}} )

Exercício ( PageIndex {75} )

( frac {2} { frac {1} {3} + frac {1} {5}} )

Responder

( frac {15} {4} )

Exercício ( PageIndex {76} )

( frac {5} { frac {1} {4} + frac {1} {3}} )

Exercício ( PageIndex {77} )

( frac { frac {7} {8} - frac {2} {3}} { frac {1} {2} + frac {3} {8}} )

Responder

( frac {5} {21} )

Exercício ( PageIndex {78} )

( frac { frac {3} {4} - frac {3} {5}} { frac {1} {4} + frac {2} {5}} )

Exercício ( PageIndex {79} )

( frac {1} {2} + frac {2} {3} cdot frac {5} {12} )

Responder

( frac {7} {9} )

Exercício ( PageIndex {80} )

( frac {1} {3} + frac {2} {5} cdot frac {3} {4} )

Exercício ( PageIndex {81} )

(1- frac {3} {5} div frac {1} {10} )

Responder

(-5)

Exercício ( PageIndex {82} )

(1- frac {5} {6} div frac {1} {12} )

Exercício ( PageIndex {83} )

( frac {2} {3} + frac {1} {6} + frac {3} {4} )

Responder

( frac {19} {12} )

Exercício ( PageIndex {84} )

( frac {2} {3} + frac {1} {4} + frac {3} {5} )

Exercício ( PageIndex {85} )

( frac {3} {8} - frac {1} {6} + frac {3} {4} )

Responder

( frac {23} {24} )

Exercício ( PageIndex {86} )

( frac {2} {5} + frac {5} {8} - frac {3} {4} )

Exercício ( PageIndex {87} )

(12 left ( frac {9} {20} - frac {4} {15} right) )

Responder

( frac {11} {5} )

Exercício ( PageIndex {88} )

(8 left ( frac {15} {16} - frac {5} {6} right) )

Exercício ( PageIndex {89} )

( frac { frac {5} {8} + frac {1} {6}} { frac {19} {24}} )

Responder

(1)

Exercício ( PageIndex {90} )

( frac { frac {1} {6} + frac {3} {10}} { frac {14} {30}} )

Exercício ( PageIndex {91} )

( left ( frac {5} {9} + frac {1} {6} right) div left ( frac {2} {3} - frac {1} {2} right) )

Responder

( frac {13} {3} )

Exercício ( PageIndex {92} )

( left ( frac {3} {4} + frac {1} {6} right) div left ( frac {5} {8} - frac {1} {3} right) )

Avalie Expressões Variáveis ​​com Frações

Nos exercícios a seguir, avalie.

Exercício ( PageIndex {93} )

(x + left (- frac {5} {6} right) text {quando} )

  1. (x = frac {1} {3} )
  2. (x = - frac {1} {6} )
Responder
  1. (- frac {1} {2} )
  2. (-1)

Exercício ( PageIndex {94} )

(x + left (- frac {11} {12} right) text {quando} )

  1. (x = frac {11} {12} )
  2. (x = - frac {3} {4} )

Exercício ( PageIndex {95} )

(x - frac {2} {5} text {quando} )

  1. (x = frac {3} {5} )
  2. (x = - frac {3} {5} )
Responder
  1. ( frac {1} {5} )
  2. (-1)

Exercício ( PageIndex {96} )

(x- frac {1} {3} text {quando} )

  1. (x = frac {2} {3} )
  2. (x = - frac {2} {3} )

Exercício ( PageIndex {97} )

( frac {7} {10} -w text {quando} )

  1. (w = frac {1} {2} )
  2. (w = - frac {1} {2} )
Responder
  1. ( frac {1} {5} )
  2. ( frac {6} {5} )

Exercício ( PageIndex {98} )

( frac {5} {12} -w text {quando} )

  1. (w = frac {1} {4} )
  2. (w = - frac {1} {4} )

Exercício ( PageIndex {99} )

(2 x ^ {2} y ^ {3} text {quando} x = - frac {2} {3} text {e} y = - frac {1} {2} )

Responder
(- frac {1} {9} )

Exercício ( PageIndex {100} )

(8 u ^ {2} v ^ {3} text {quando} u = - frac {3} {4} text {e} v = - frac {1} {2} )

Exercício ( PageIndex {101} )

( frac {a + b} {a-b} text {quando} a = -3, b = 8 )

Responder
(- frac {5} {11} )

Exercício ( PageIndex {102} )

( frac {r-s} {r + s} text {quando} r = 10, s = -5 )

Matemática cotidiana

Exercício ( PageIndex {103} )

Decoração Laronda está fazendo cobertores para as almofadas em seu sofá. Para cada capa de travesseiro, ela precisa de ( frac {1} {2} ) jarda de tecido estampado e frac {3} {8} ) jarda de tecido sólido. Qual é a quantidade total de tecido que a Laronda precisa para cada capa de almofada?

Responder

( frac {7} {8} ) jarda

Exercício ( PageIndex {104} )

Cozimento Vanessa está assando biscoitos de chocolate e aveia. Ela precisa de ( frac {1} {2} ) xícara de açúcar para os biscoitos de chocolate e ( frac {1} {4} ) de açúcar para os biscoitos de aveia. Quanto açúcar ela precisa no total?

Exercícios de escrita

Exercício ( PageIndex {105} )

Por que você precisa de um denominador comum para adicionar ou subtrair frações? Explique.

Responder

As respostas podem variar

Exercício ( PageIndex {106} )

Como você encontra o LCD de 2 frações?

Auto-verificação

Ⓐ Depois de concluir os exercícios, use esta lista de verificação para avaliar seu domínio dos objetivos desta seção.

Ⓑ Depois de examinar a lista de verificação, você acha que está bem preparado para o próximo capítulo? Por que ou por que não?


1.7E: Exercícios

As Equipes de Resposta a Emergências de Computadores (CERTs, também conhecidas como CSIRTs) são a principal ferramenta para a Proteção de Infraestrutura de Informações Críticas (CIIP) ou qualquer outra organização, como a sua empresa. NetbyteSEC fornece:

  • & # x2023 Como planejar, iniciar e estabelecer seu próprio CERT.
  • & # x2023 Estabeleça boas práticas sobre como operar um CERT.
  • & # x2023 Recomendações para um conjunto básico de recursos de CERTS com responsabilidades.
  • & # x2023 Treinamento relacionado ao estabelecimento do CERT.

Exercício de treinamento de segurança cibernética

Os exercícios de segurança cibernética, além do treinamento teórico, são úteis para facilitar uma melhor resposta e tratamento de incidentes de ataque cibernético, assim como as pessoas aprendem na prática em muitos outros campos, como dirigir, cozinhar e jogar. NetbyteSEC conduziu muitos níveis internacionais e nacionais para exercícios de segurança cibernética. É difícil simular ataques cibernéticos típicos e, mesmo que um ataque seja simulado, as respostas se concentram em questões de operação, como recuperação e continuidade de negócios, atendimento ao cliente e resposta e ameaça às transações de negócios, ao invés do que causou ou permitiu tal ataque e como se proteger contra isso, mas equipado com NetbyteSECPelas experiências, uma simulação de segurança cibernética suave e prática pode ser executada. NetbyteSEC realizou vários exercícios cibernéticos em grande escala na Malásia. Com a experiência de NetbyteSEC equipe na organização de exercícios cibernéticos em simulação cibernética e corporação em vários países, a NetbyteSEC pode garantir uma implementação altamente técnica e sólida de exercícios cibernéticos para nossos clientes.

Desenvolvimento de software personalizado

Nossas equipes dedicadas de desenvolvimento de software têm experiência no gerenciamento de projetos complexos e de pequena escala, produzindo resultados em prazos apertados com foco na alta qualidade e consistência da marca. No NetbyteSEC, estamos nos concentrando em construir o desenvolvimento de software personalizado principalmente para lidar com os requisitos de segurança cibernética. Desenvolvemos um software personalizado para atender aos requisitos de segurança cibernética de nossos clientes para:

  • & # x2023 Cyber ​​Security Malaysia - Sistema de Gestão da Qualidade para ASCLD Forense Digital.
  • & # x2023 Conselho nacional de segurança - Gerenciamento do Sistema de Exercícios Cyber ​​Drill.
  • & # x2023 Comissão de Comunicações e Multimídia da Malásia - Sistema de análise de sandbox de malware.
  • & # x2023 Cyber ​​Security Malaysia - Pesquisa de evidências de Big Data.

1.7E: Exercícios

Bem-vindo ao companheiro da web da oitava edição do Eletromagnetismo aplicado, desenvolvido para servir ao aluno como um suplemento de auto-estudo interativo para o texto.

A navegação é altamente flexível; o usuário pode acessar o material na ordem descrita no índice ou pode prosseguir diretamente para qualquer exercício, módulo ou resumo de tecnologia de seu interesse.

Esperamos que você ache este site útil e agradecemos seus comentários e sugestões.


7.3 Pacotes de dados geográficos

Vários pacotes R foram desenvolvidos para acessar dados geográficos, alguns dos quais são apresentados na Tabela 7.1. Eles fornecem interfaces para uma ou mais bibliotecas espaciais ou geoportais e visam tornar o acesso aos dados ainda mais rápido a partir da linha de comando.

TABELA 7.1: Pacotes R selecionados para recuperação de dados geográficos.
Pacote Descrição
getlandsat Fornece acesso aos dados do Landsat 8.
osmdata Baixe e importe os dados do OpenStreetMap.
raster getData () importa dados administrativos, de elevação e WorldClim.
terra natural Acesso aos dados vetoriais e raster da Natural Earth.
rnoaa Importa dados climáticos da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA).
rWBclimate Acesse os dados climáticos do Banco Mundial.

Deve-se enfatizar que a Tabela 7.1 representa apenas um pequeno número de pacotes de dados geográficos disponíveis. Outros pacotes notáveis ​​incluem GSODR, que fornece dados climáticos diários resumidos globais em R (consulte o README do pacote para uma visão geral das fontes de dados meteorológicos) tidycensus e Tigre, que fornecem dados vetoriais sociodemográficos para os EUA e hddtools, que fornece acesso a uma variedade de conjuntos de dados hidrológicos.

Cada pacote de dados tem sua própria sintaxe para acessar os dados. Essa diversidade é demonstrada nos blocos de código subsequentes, que mostram como obter dados usando três pacotes da Tabela 7.1. As fronteiras dos países são frequentemente úteis e podem ser acessadas com a função ne_countries () do terra natural pacote da seguinte forma:

Por padrão terra natural retorna objetos da classe Spatial. O resultado pode ser convertido em objetos sf com st_as_sf () da seguinte maneira:

Um segundo exemplo baixa uma série de rasters contendo somas globais de precipitação mensal com resolução espacial de dez minutos. O resultado é um objeto multicamadas da classe RasterStack.

Um terceiro exemplo usa o osmdata pacote (Padgham et al. 2018) para encontrar parques do banco de dados OpenStreetMap (OSM). Conforme ilustrado no fragmento de código abaixo, as consultas começam com a função opq () (abreviação de consulta OpenStreetMap), o primeiro argumento da qual é caixa delimitadora, ou string de texto que representa uma caixa delimitadora (a cidade de Leeds neste caso). O resultado é passado para uma função para selecionar em quais elementos OSM estamos interessados ​​(parques neste caso), representado por pares de valor-chave. Em seguida, eles são passados ​​para a função osmdata_sf () que faz o trabalho de baixar os dados e convertê-los em uma lista de objetos sf (veja a vinheta ('osmdata') para mais detalhes):

O OpenStreetMap é um vasto banco de dados global de dados coletados e está crescendo diariamente. Embora a qualidade não seja espacialmente consistente como muitos conjuntos de dados oficiais, os dados OSM têm muitas vantagens: eles estão disponíveis globalmente gratuitamente e o uso de dados de origem coletiva pode encorajar a "ciência cidadã" e as contribuições de volta aos bens comuns digitais. Outros exemplos de osmdata em ação são fornecidos nos Capítulos 9, 12 e 13.

Às vezes, os pacotes vêm com conjuntos de dados embutidos. Eles podem ser acessados ​​de quatro maneiras: anexando o pacote (se o pacote usar 'carregamento lento' como spData faz), com data (dataset), referindo-se ao dataset com pkg :: dataset ou com system.file () para acessar arquivos de dados brutos. O fragmento de código a seguir ilustra as duas últimas opções usando o conjunto de dados mundial (já carregado anexando seu pacote pai com a biblioteca (spData)): 31


Material Auxiliar

Este texto é destinado a um primeiro curso em Contabilidade Financeira Intermediária. Ele presume que os alunos já concluíram um ou dois cursos introdutórios de contabilidade financeira. O livro reflete as atuais Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS), como o IFRS 15 - Receita de Contratos com Clientes. Ele se concentra em tópicos de contabilidade intermediária mais difíceis que correspondem aos requisitos de pré-requisito para alunos que avançam para um curso de contabilidade financeira intermediária de segundo nível. Tópicos avançados que são abordados nos cursos de Contabilidade Financeira Avançada, como consolidações e câmbio estrangeiro, não estão incluídos aqui. O texto é escrito com um estilo acessível que enfoca os principais conceitos que serão relevantes para as futuras carreiras dos alunos como contadores.

O livro fornece uma revisão dos conceitos introdutórios de contabilidade e cobre todos os tópicos essenciais para um curso de contabilidade intermediária de primeiro nível: a estrutura conceitual e o panorama atual das demonstrações financeiras de posição financeira, renda abrangente, fluxos de caixa e estoque de receita de caixa e contas a receber imobilizado, ativos intangíveis de equipamentos e investimentos intercorporativos.


Se você deseja relatar um erro, ou se deseja fazer uma sugestão, não hesite em nos enviar um e-mail:

Sua mensagem foi enviada para W3Schools.

Principais tutoriais

Referências principais

Principais exemplos

Cursos da Web

W3Schools é otimizado para aprendizagem e treinamento. Os exemplos podem ser simplificados para melhorar a leitura e o aprendizado. Tutoriais, referências e exemplos são constantemente revisados ​​para evitar erros, mas não podemos garantir a correção total de todo o conteúdo. Ao usar o W3Schools, você concorda em ter lido e aceito nossos termos de uso, cookies e política de privacidade.


Tipos e tamanhos de dados

Existem apenas alguns tipos de dados básicos em C. Eles estão listados na tabela abaixo:

Tipo de dadosDescriçãoTamanhoAlcance
Caracterespersonagem único1 byte0 - 255
intnúmero inteiro4 bytes-2147483648 a 2147483647
flutuadornúmero de ponto flutuante de precisão única (número contendo fração & ou um expoente)4 bytes3.4E-38 a 3.4E + 38
Duplonúmero de ponto flutuante de dupla precisão8 bytes1.7E-308 a 1.7E + 308

A lista de tipos de dados pode ser aumentada usando os qualificadores de tipo de dados, como - curto, longo e sem sinal. Por exemplo, uma quantidade inteira pode ser definida como um inteiro longo, curto, com sinal ou sem sinal. O requisito de memória de um dado inteiro varia dependendo dos compiladores usados. Os tipos de dados básicos qualificados e seus tamanhos são mostrados na tabela abaixo.

Tipo de dadosTamanhoAlcance
curto int2 bytes-32768 a 32767
longo int4 bytes-2147483648 a 2147483647
int curto sem sinal2 bytes0 a 65535
int não assinado4 bytes0 a 4294967295
int longo sem sinal4 bytes0 a 4294967295
duplo longo (precisão estendida)8 bytes1,7E-308 a 1,7E + 308

Observe que o qualificador não assinado pode ser usado junto com os qualificadores baixo e grandes. O int não assinado ocupa o mesmo espaço de memória que um int mas difere no possível conteúdo do bit mais à esquerda. No caso de um comum int é reservado para sinal (bit de sinal), mas todos os bits em um int não assinado são usados ​​para determinar a magnitude da quantidade inteira.

O Caracteres tipo é usado para representar caracteres individuais e ocupa um byte de memória. Cada caractere tem uma representação de número inteiro equivalente (já que cada um armazena internamente o valor ASCII do caractere correspondente). Então Caracteres variáveis ​​ou constantes podem ser usadas como dados inteiros em expressões aritméticas.

Os objetos de dados a serem manipulados em um programa C são classificados como variáveis ​​e constantes. O modelo de todas as variáveis ​​a serem usadas no programa devem ser declaradas antes que possam ser usadas. As operações que podem ser realizadas nos objetos de dados são especificadas por um conjunto de operadores. As expressões usadas em um programa combinam as variáveis, constantes e operadores para produzir novos valores.


24.5 Modelo B2: uma redução gradual do modelo B

O procedimento passo a passo chega a um modelo com três preditores. Como esse resultado parece, praticamente?

24.5.1 A Curva de Sobrevivência implícita no Modelo B2

24.5.2 Verificando riscos proporcionais para o Modelo B2


1.7E: Exercícios

Nesta seção vamos submergir uma placa vertical na água e queremos saber a força que é exercida na placa devido à pressão da água. Essa força costuma ser chamada de força hidrostática.

Existem duas fórmulas básicas que usaremos aqui. Primeiro, se estamos (d ) metros abaixo da superfície, a pressão hidrostática é dada por,

onde, ( rho ) é a densidade do fluido e (g ) é a aceleração gravitacional. Vamos assumir que o fluido em questão é água e, uma vez que vamos usar o sistema métrico, essas quantidades se tornam,

A segunda fórmula de que precisamos é a seguinte. Suponha que uma pressão constante (P ) esteja agindo em uma superfície com área (A ). Então, a força hidrostática que atua na área é,

Observe que não seremos capazes de encontrar a força hidrostática em uma placa vertical usando esta fórmula, pois a pressão irá variar com a profundidade e, portanto, não será constante conforme exigido por esta fórmula. No entanto, precisaremos disso para o nosso trabalho.

A melhor maneira de ver como esses problemas funcionam é dar um exemplo ou dois.

A primeira coisa a fazer aqui é configurar um sistema de eixos. Então, vamos refazer o esboço acima com o sistema de eixo seguinte adicionado.

Então, vamos orientar o eixo (x ) - de modo que o positivo (x ) seja para baixo, (x = 0 ) corresponda à superfície da água e (x = 4 ) corresponda à profundidade da ponta do triângulo.

Em seguida, dividimos o triângulo em (n ) tiras horizontais de largura igual ( Delta x ) e em cada intervalo ( left [<<>>,> right] ) escolha qualquer ponto (x_i ^ * ). Para tornar os cálculos mais fáceis, faremos duas suposições sobre essas faixas. Em primeiro lugar, ignoraremos o fato de que as extremidades serão realmente inclinadas e assumiremos que as tiras são retangulares. Se ( Delta x ) for suficientemente pequeno, isso não afetará muito nossos cálculos. Em segundo lugar, assumiremos que ( Delta x ) é pequeno o suficiente para que a pressão hidrostática em cada faixa seja essencialmente constante.

Abaixo está uma tira representativa.

A altura desta faixa é ( Delta x ) e a largura é 2 (a ). Podemos usar triângulos semelhantes para determinar (a ) como segue,

Agora, uma vez que estamos assumindo que a pressão nesta tira é constante, a pressão é dada por,

[ = rho gd = 1000 left (<9.81> right) x_i ^ * = 9810x_i ^ * ]

e a força hidrostática em cada faixa é,

[ = , A = left (<2a Delta x> right) = 9810x_i ^ * left (2 right) left (<3 - frac <3> <4> x_i ^ *> right) Delta x = 19620x_i ^ * left (<3 - frac <3> <4> x_i ^ *> right) , Delta x ]

A força hidrostática aproximada na placa é então a soma das forças em todas as tiras ou,

Tirar o limite obterá a força hidrostática exata,

Usando a definição da integral definida, isso nada mais é do que,

A força hidrostática é então,

Vamos dar uma olhada em outro exemplo.

Primeiro, vamos supor que o topo da placa circular está 6 metros abaixo da água. A seguir, configuraremos o sistema de eixos de forma que a origem do sistema de eixos esteja no centro da placa. Configurar o sistema de eixos desta forma simplificará muito nosso trabalho.

Finalmente, vamos novamente dividir a placa em (n ) tiras horizontais de largura ( Delta y ) e escolheremos um ponto (y_i ^ * ) de cada tira. Também assumiremos que as tiras são retangulares novamente para ajudar nos cálculos. Aqui está um esboço da configuração.

A profundidade abaixo da superfície da água de cada faixa é,

e isso, por sua vez, nos dá a pressão sobre a tira,

A área de cada faixa é,

A força hidrostática em cada faixa é,

A força total na placa é,

Para fazer essa integral, precisamos dividi-la em duas integrais.

A primeira integral requer a substituição trigonométrica (y = 2 sin theta ) e a segunda integral precisa da substituição (v = 4 - ). Depois de usar essas substituições, obtemos,

Observe que, após a substituição, sabemos que a segunda integral será zero porque os limites superior e inferior são iguais.


Preenchimento Flash

Usar preenchimento rápido dentro Excel 2013 ou posterior para extrair ou combinar dados automaticamente. O Flash Fill in Excel só funciona quando reconhece um padrão.

Preenchimento Flash Exemplo 1

Por exemplo, use o preenchimento flash no Excel para extrair os números na coluna A abaixo.

1. Primeiro, diga ao Excel o que você deseja fazer, inserindo o valor 4645 na célula B1.

2. Na guia Dados, no grupo Ferramentas de Dados, clique em Preenchimento Flash (ou pressione CTRL + E).

Exemplo de preenchimento flash 2

Por exemplo, use o preenchimento em Flash do Excel para juntar os sobrenomes na coluna A abaixo e os primeiros nomes na coluna B abaixo para criar endereços de e-mail.

1. Primeiro, diga ao Excel o que você deseja fazer, inserindo um endereço de e-mail correto na célula C1.

2. Na guia Dados, no grupo Ferramentas de Dados, clique em Preenchimento Flash (ou pressione CTRL + E).

Exemplo de preenchimento flash 3

Por exemplo, use o preenchimento flash no Excel para reformatar os números na coluna A abaixo.

1. Primeiro, diga ao Excel o que você deseja fazer, digitando o número do seguro social correto na célula B1.

2. Na guia Dados, no grupo Ferramentas de Dados, clique em Preenchimento Flash (ou pressione CTRL + E).

Limitações de preenchimento de flash

O preenchimento em Flash é uma ótima ferramenta do Excel. No entanto, ele tem algumas limitações. Por exemplo, use o preenchimento flash no Excel para extrair os números na coluna A abaixo.

1. Primeiro, diga ao Excel o que você deseja fazer, inserindo o valor 130 na célula B1.

2. Na guia Dados, no grupo Ferramentas de Dados, clique em Preenchimento Flash (ou pressione CTRL + E).

Nota: o flash fill não extraiu corretamente os números decimais (apenas os dígitos após a casa decimal).

3. O preenchimento do Flash às vezes precisa de uma ajudinha. Imediatamente após executar a etapa 2, altere o valor na célula B3 para 26,2 e o Excel extrairá corretamente todos os outros números decimais para você.

4. O preenchimento do Flash no Excel não atualiza automaticamente seus resultados quando os dados de origem são alterados. Por exemplo, se você alterar o número na célula A1 para 200, o Excel não atualizará o número na célula B1.


Assista o vídeo: GNEM8 - 1911 (Dezembro 2021).