Artigos

2.5: Estrelas e Barras


Investigar!

Suponha que você tenha um certo número de cubos de Rubik idênticos para distribuir aos seus amigos. Imagine que você comece com uma única linha de cubos.

  1. Encontre o número de maneiras diferentes de distribuir os cubos fornecidos:
    1. Você tem 3 cubos para dar a 2 pessoas.
    2. Você tem 4 cubos para dar a 2 pessoas.
    3. Você tem 5 cubos para dar a 2 pessoas.
    4. Você tem 3 cubos para dar a 3 pessoas.
    5. Você tem 4 cubos para dar a 3 pessoas.
    6. Você tem 5 cubos para dar a 3 pessoas.
  2. Faça uma conjectura sobre de quantas maneiras diferentes você poderia distribuir 7 cubos para 4 pessoas. Explique.
  3. E se cada pessoa fosse obrigada a obter pelo menos um cubo? Como suas respostas mudariam?

Considere o seguinte problema de contagem:

Você tem 7 biscoitos para dar a 4 crianças. De quantas maneiras você pode fazer isso?

Reserve um momento para pensar em como você pode resolver esse problema. Você pode presumir que é aceitável não dar cookies a uma criança. Além disso, os cookies são todos idênticos e a ordem em que você os distribui não importa.

Antes de resolver o problema, aqui está uma resposta errada: Você pode adivinhar que a resposta deveria ser (4 ^ 7 ) porque para cada um dos 7 cookies, há 4 opções de crianças para as quais você pode dar o cookie. Isso é razoável, mas errado. Para ver o motivo, considere alguns resultados possíveis: poderíamos atribuir os primeiros seis cookies à criança A e o sétimo cookie à criança B. Outro resultado atribuiria o primeiro cookie à criança B e os seis cookies restantes à criança A. Ambos os resultados estão incluídos na resposta (4 ^ 7 ). Mas para o nosso problema de contagem, ambos os resultados são realmente os mesmos - a criança A ganha seis biscoitos e a criança B ganha um biscoito.

Qual é a aparência real dos resultados? Como podemos representá-los? Uma abordagem seria escrever um resultado como uma sequência de quatro números como este:

begin {equation *} 3112, end {equation *}

que representam o resultado em que a primeira criança ganha 3 biscoitos, a segunda e a terceira crianças ganham 1 biscoito cada e a quarta criança ganha 2 biscoitos. Representado dessa forma, a ordem em que os números ocorrem é importante. 1312 é um resultado diferente, porque a primeira criança recebe um cookie em vez de 3. Cada número na string pode ser qualquer inteiro entre 0 e 7. Mas a resposta não é (7 ^ 4 text {.} ) Nós precisa do soma dos números a ser 7.

Outra maneira de representar os resultados é escrever uma sequência de sete letras:

begin {equation *} mbox {ABAADCD}, end {equation *}

que representa que o primeiro cookie vai para o filho A, o segundo cookie vai para o filho B, o terceiro e o quarto vão para o filho A e assim por diante. Na verdade, esse resultado é idêntico ao anterior - A recebe 3 cookies, B e C recebem 1 cada e D obtém 2. Cada uma das sete letras na string pode ser qualquer uma das 4 letras possíveis (uma para cada criança) , mas o número de tais strings não é (4 ^ 7 text {,} ) porque aqui a ordem não matéria. Na verdade, outra maneira de escrever o mesmo resultado é

begin {equation *} mbox {AAABCDD}. end {equação *}

Esta será a representação preferida do resultado. Uma vez que podemos escrever as letras em qualquer ordem, podemos também escrevê-las em em ordem alfabética pedido para fins de contagem. Então, vamos escrever todos os A's primeiro, depois todos os B's e assim por diante.

Agora pense em como você poderia especificar esse resultado. Tudo o que realmente precisamos fazer é dizer quando mudar de uma letra para a próxima. Em termos de cookies, precisamos dizer depois de quantos cookies paramos de dar cookies para a primeira criança e passamos a dar cookies para a segunda criança. E depois de quantos mudamos para o terceiro filho? E depois de quantos mudamos para o quarto? Portanto, outra maneira de representar um resultado é assim:

begin {equation *} *** | * | * | ** end {equation *}

Três cookies vão para a primeira criança, então trocamos e damos um cookie para a segunda criança, então trocamos, um para a terceira criança, trocamos, dois para a quarta criança. Observe que precisamos de 7 estrelas e 3 barras - uma estrela para cada biscoito e uma barra para cada troca entre crianças, portanto, uma barra a menos do que o número de crianças (não precisamos trocar depois da última criança - terminamos) .

Por que fizemos tudo isso? Simples: para contar quantas maneiras de distribuir 7 cookies para 4 crianças, tudo o que precisamos fazer é contar quantas estrelas e bares gráficos existem. Mas um estrelas e gráfico de barras é apenas uma sequência de símbolos, algumas estrelas e algumas barras. Se, em vez de estrelas e barras, usássemos 0 e 1, seria apenas uma string de bits. Nós sabemos como contá-los.

Antes de ficarmos muito animados, devemos ter certeza de que realmente algum seqüência de (no nosso caso) 7 estrelas e 3 barras corresponde a uma forma diferente de distribuir biscoitos para crianças. Em particular, considere uma string como esta:

begin {equation *} | *** || **** end {equation *}

Isso corresponde a uma distribuição de cookies? sim. Representa a distribuição em que a criança A recebe 0 cookies (porque mudamos para a criança B antes de qualquer estrela), a criança B recebe três cookies (três estrelas antes da próxima barra), a criança C recebe 0 cookies (sem estrelas antes da próxima barra) e a criança D recebe os 4 cookies restantes. Não importa como as estrelas e as barras estão dispostas, podemos distribuir cookies dessa forma. Além disso, dada a forma de distribuição de cookies, podemos representar isso com um gráfico de estrelas e barras. Por exemplo, a distribuição em que a criança A recebe 6 cookies e a criança B recebe 1 cookie tem o seguinte gráfico:

begin {equation *} ****** | * || end {equação *}

Depois de todo esse trabalho, finalmente estamos prontos para contar. Cada forma de distribuição de biscoitos corresponde a um gráfico de estrelas e barras com 7 estrelas e 3 barras. Portanto, existem 10 símbolos e devemos escolher 3 deles para serem barras. Desse modo:

begin {equation *} mbox {Existem} {10 choose 3} mbox {maneiras de distribuir 7 cookies para 4 crianças.} end {equation *}

Enquanto estamos nisso, também podemos responder a uma pergunta relacionada: quantas maneiras existem para distribuir 7 cookies para 4 crianças para que cada criança receba pelo menos um cookie? O que você pode dizer sobre os gráficos de estrelas e barras correspondentes? Os gráficos devem começar e terminar com pelo menos uma estrela (para que as crianças A e D) recebam os cookies, e também não podem haver duas barras adjacentes (para que as crianças B e C não sejam puladas). Uma maneira de garantir isso é colocar apenas barras nos espaços entre as estrelas. Com 7 estrelas, existem 6 pontos entre as estrelas, então devemos escolher 3 desses 6 pontos para preencher com barras. Portanto, existem ({6 escolha 3} ) maneiras de distribuir 7 cookies para 4 crianças, dando pelo menos um cookie para cada criança.

Outra maneira (e mais geral) de abordar esse problema modificado é primeiro dar a cada criança um cookie. Agora os 3 cookies restantes podem ser distribuídos às 4 crianças sem restrições. Portanto, temos 3 estrelas e 3 barras para um total de 6 símbolos, 3 dos quais devem ser barras. Novamente, vemos que existem ({6 choose 3} ) maneiras de distribuir os cookies.

Estrelas e barras podem ser usadas na contagem de problemas que não sejam crianças e biscoitos. Aqui estão alguns exemplos:

Exemplo ( PageIndex {1} )

Sua rede de pizza matemática favorita oferece 10 coberturas. Quantas pizzas você pode fazer se tiver 6 coberturas? A ordem das coberturas não importa, mas agora você pode repetir. Portanto, uma pizza possível é linguiça tripla, abacaxi duplo e cebola.

Solução

Conseguimos 6 coberturas (contando as repetições possíveis). Represente cada uma dessas coberturas como uma estrela. Pense em descer no menu uma cobertura de cada vez: você vê as anchovas primeiro e pula para a próxima, a salsicha. Você diz sim para a salsicha 3 vezes (use 3 estrelas) e depois muda para a próxima cobertura da lista. Você continua pulando até chegar ao abacaxi, para o qual você diz sim duas vezes. Outra mudança e você está nas cebolas. Você diz sim uma vez. Então você continua trocando até chegar à última cobertura, nunca dizendo sim novamente (já que você já disse sim 6 vezes. Existem 10 coberturas para escolher, então devemos mudar de considerar uma cobertura para as próximas 9 vezes. os bares.

Agora que estamos confiantes de que temos o número certo de estrelas e barras, respondemos à pergunta de forma simples: há 6 estrelas e 9 barras, portanto, 15 símbolos. Precisamos escolher 9 deles para serem bares, então o número de pizzas possíveis é

begin {equation *} {15 escolha 9}. end {equação *}


Padrão de bloco de colcha estrela da amizade

Esta postagem contém & # xa0 links de afiliados & # xa0 pelos quais recebo uma compensação.

O clássico bloco de colcha Friendship Star é um lugar maravilhoso para praticar a confecção de triângulos de meio quadrado. São necessários apenas quatro deles mais cinco quadrados cortados para fazê-lo.

No tutorial a seguir, usamos dois tecidos, mas funciona igualmente bem como um bloco fragmentado - apenas certifique-se de que haja uma boa distinção entre as luzes e as sombras para que as pontas das estrelas não desapareçam.

Nesta página, você encontrará instruções para fazer este bloco em 5 tamanhos diferentes. & # Xa0Quatro variações comuns & # xa0 neste bloco também são ilustradas.

Você sabia que outros blocos radicalmente diferentes são chamados de 'Estrela da Amizade'? & # Xa0 Esses são retratados também!


Como as recompensas são calculadas

De acordo com uma disposição do Affordable Care Act (ACA), essas classificações de estrelas começaram a ser usadas para ajustar os pagamentos aos MAOs a partir de 2012. Os bônus deveriam ser concedidos para contratos que recebessem 4 ou mais estrelas. No entanto, ao mesmo tempo que os pagamentos básicos aos planos MA foram programados para serem reduzidos como parte dos cortes do Medicare fornecidos na ACA, a CMS também lançou um projeto de demonstração de três anos de 2012-2014 fornecendo bônus para planos que obtivessem 3 ou 3,5 estrelas em a fim de determinar se o fornecimento de bônus neste nível levaria a “melhorias mais rápidas e maiores ano a ano”. [7] Esse projeto de demonstração já terminou.

As recompensas são duas partes: pagamentos de bônus diretos à operadora do plano e descontos que devem ser devolvidos ao beneficiário na forma de benefícios adicionais ou aprimorados, como prêmios reduzidos ou co-pagamentos, cobertura expandida, etc.

Os pagamentos de bônus - como os pagamentos do plano básico do MA - são pagos por inscrito e são calculados como uma parcela dos benchmarks do MA, que variam por condado [8] e, portanto, os pagamentos de bônus variam de acordo com o condado. Em 2014 e nos anos subsequentes, os bônus para planos de 4 estrelas ou mais são 5 por cento do benchmark da área. [9] Novos planos (oferecidos por uma organização que não teve um contrato MA nos três anos anteriores e, portanto, não tem uma quantidade suficiente de dados para se qualificar) recebem um bônus de 3,5 por cento. Contratos em condados com certos fatores demográficos recebem bônus em dobro. [10] Os planos que falham no relatório são tratados como tendo menos de 3,5 estrelas e, portanto, não recebem nenhum pagamento de bônus.

Os descontos no plano MA existiam antes do Star Rating System e operam virtualmente da mesma maneira sob este novo sistema, embora não com a mesma porcentagem de antes. Tradicionalmente, os planos MA receberam um desconto igual a uma porcentagem (anteriormente 75 por cento) da diferença entre o lance do plano e o benchmark para aquela área se o lance estiver abaixo do benchmark. valor de referência por beneficiário por CMS - os beneficiários do plano que selecionam esse plano devem pagar um prêmio adicional para compensar a diferença. De acordo com o Star Rating System, de acordo com a ACA, os planos que licitam abaixo do benchmark agora recebem seu desconto com base em uma porcentagem da diferença entre o lance e o benchmark, ajustado para incluir o valor de qualquer pagamento de bônus recebido, como segue: [11 ]

Pagamento de bônus

Novo Benchmark

Pagamento de abatimento

Incluir o valor do pagamento do bônus no benchmark contra o qual os descontos são calculados permite que os planos com classificações mais altas aumentem seus lances (e recebam um pagamento mais alto do CMS) enquanto ainda recebem um desconto para seus inscritos. Os descontos devem ser devolvidos aos inscritos na forma de prêmios reduzidos ou benefícios aumentados.

O sistema MA Stars não é um programa típico de pagamento por desempenho. Uma vez que o CMS não paga diretamente os prestadores de cuidados em MA, mas, em vez disso, paga as seguradoras que oferecem cobertura privada aos beneficiários do Medicare, a recompensa está, na verdade, sendo paga a um intermediário na prestação de cuidados. Assim, os MAOs, contando com os prestadores de cuidados que atendem seus pacientes para receber uma recompensa, devem educar os prestadores em suas redes sobre quais métricas estão sendo avaliadas, embora, conforme discutido posteriormente neste relatório, o melhor que eles podem fazer é informar prestadores de serviços sobre quais medidas foram avaliadas no ano anterior.

Além disso, os reguladores e prestadores de cuidados de saúde devem prestar atenção às métricas de qualidade que se desenvolvem sob o novo sistema de pagamento que resultará da recentemente aprovada Lei de Reautorização de Acesso e CHIP de 2015. Esperamos que os vários sistemas avaliem métricas semelhantes para que os médicos não recebam conflitos indicadores de como eles deveriam tratar seus pacientes.


Conteúdo

O desenho atual da bandeira dos EUA é o seu 27º. O desenho da bandeira foi modificado oficialmente 26 vezes desde 1777. A bandeira de 48 estrelas esteve em vigor por 47 anos até que a versão de 49 estrelas se tornou oficial em 4 de julho de 1959. O A bandeira de 50 estrelas foi encomendada pelo então presidente Eisenhower em 21 de agosto de 1959 e foi adotada em julho de 1960. É a versão mais usada da bandeira dos Estados Unidos e está em uso há mais de 60 anos. [6]

Primeira bandeira

As Cores Continentais
(também conhecido como "Bandeira da Grande União")

Bandeira da Companhia Britânica das Índias Orientais, 1707-1801

Na época da Declaração da Independência em julho de 1776, o Congresso Continental não adotaria legalmente bandeiras com "estrelas, brancas em um campo azul" por mais um ano. A bandeira contemporaneamente conhecida como "as Cores Continentais" tem sido historicamente referida como a primeira bandeira nacional. [7]

A Marinha Continental ergueu as Cores como a bandeira da nação incipiente na Guerra da Independência Americana - provavelmente com o expediente de transformar suas bandeiras vermelhas britânicas anteriores adicionando listras brancas - e usou esta bandeira até 1777, quando formou a base para o designs subsequentes. [7] [8]

O nome "Grand Union" foi aplicado pela primeira vez às Continental Colors por George Preble em sua história de 1872 da bandeira dos EUA. [8]

A bandeira lembra muito a bandeira da Companhia Britânica das Índias Orientais da época, e Sir Charles Fawcett argumentou em 1937 que a bandeira da empresa inspirou o design. [9] Ambas as bandeiras poderiam ter sido facilmente construídas adicionando listras brancas ao British Red Ensign, uma das três bandeiras marítimas usadas em todo o Império Britânico na época. No entanto, uma bandeira da Companhia das Índias Orientais podia ter de nove a 13 listras e não podia ser hasteada fora do Oceano Índico. [10] Benjamin Franklin certa vez fez um discurso endossando a adoção da bandeira da empresa pelos Estados Unidos como sua bandeira nacional. Ele disse a George Washington: "Embora o campo de sua bandeira deva ser novo nos detalhes de seu design, não precisa ser inteiramente novo em seus elementos. Já existe uma bandeira em uso, refiro-me à bandeira das Índias Orientais Empresa." [11] Esta foi uma forma de simbolizar a lealdade americana à Coroa, bem como as aspirações dos Estados Unidos de autogoverno, como foi a Companhia das Índias Orientais. Alguns colonos também achavam que a empresa poderia ser uma aliada poderosa na Guerra da Independência dos Estados Unidos, visto que compartilhavam objetivos e queixas semelhantes contra as políticas fiscais do governo britânico. Os colonos, portanto, hastearam a bandeira da empresa, para endossar a empresa. [12]

No entanto, a teoria de que a bandeira da Grande União era descendente direta da bandeira da Companhia das Índias Orientais foi criticada por não apresentar evidências escritas. [13] Por outro lado, a semelhança é óbvia, e vários dos fundadores dos Estados Unidos estavam cientes das atividades da Companhia das Índias Orientais e de sua livre administração da Índia sob o governo da Companhia. [13] Em qualquer caso, tanto as listras (barry) e as estrelas (mullets) têm precedentes na heráldica clássica. Tainhas eram comparativamente raras na heráldica moderna, mas um exemplo de tainhas que representam divisões territoriais anteriores à bandeira dos EUA são as do brasão de Valais de 1618, onde sete tainhas representavam sete distritos.

Outra teoria amplamente repetida é que o design foi inspirado no brasão da família de George Washington, que inclui três estrelas vermelhas sobre duas barras vermelhas horizontais em um campo branco. Apesar dos elementos visuais semelhantes, há "pouca evidência" [15] ou "nenhuma evidência" [16] para apoiar a alegada conexão com o design da bandeira. O Enciclopédia Digital de George Washington, publicado pela Biblioteca Nacional Fred W. Smith para o Estudo de George Washington em Mount Vernon, chama-o de "mito duradouro" apoiado por "nenhuma evidência discernível". [17] A história parece ter se originado com a peça de 1876 Washington: um drama em cinco atos, do poeta inglês Martin Farquhar Tupper, e foi posteriormente popularizado por meio da repetição na revista infantil São Nicolau. [15] [16]

Resolução da bandeira de 1777

Em 14 de junho de 1777, o Segundo Congresso Continental aprovou a Resolução da Bandeira que afirmava: "Resolvido, Que a bandeira dos treze Estados Unidos tenha treze listras, alterne vermelho e branco que a união seja treze estrelas, brancas em um campo azul, representando uma nova constelação. "[18] O Dia da Bandeira agora é comemorado em 14 de junho de cada ano Embora os estudiosos ainda discutam sobre isso, a tradição afirma que a nova bandeira foi hasteada pela primeira vez em junho de 1777 pelo Exército Continental no acampamento Middlebrook. [19]

A primeira bandeira oficial dos EUA hasteada durante a batalha foi em 3 de agosto de 1777, no Fort Schuyler (Fort Stanwix) durante o Cerco ao Fort Stanwix. Os reforços de Massachusetts trouxeram notícias da adoção pelo Congresso da bandeira oficial para Fort Schuyler. Os soldados cortaram suas camisas para fazer as listras brancas escarlate para formar o vermelho foi assegurado de anáguas de flanela vermelha das esposas de oficiais, enquanto o material para a união azul foi assegurado pelo casaco de pano azul do capitão Abraham Swartwout. Existe um comprovante de que o capitão Swartwout, do condado de Dutchess, foi pago pelo Congresso por seu casaco para a bandeira. [20]

A resolução de 1777 provavelmente pretendia definir uma bandeira naval. No final do século 18, a noção de bandeira nacional ainda não existia, ou estava apenas nascendo. A resolução da bandeira aparece entre outras resoluções do Comitê da Marinha. Em 10 de maio de 1779, o secretário do Conselho de Guerra, Richard Peters, expressou preocupação "ainda não está decidido qual é o padrão dos Estados Unidos". [21] No entanto, o termo "Padrão" referia-se a um padrão nacional para o Exército dos Estados Unidos. Cada regimento deveria carregar o padrão nacional além de seu padrão regimental. O padrão nacional não era uma referência à bandeira nacional ou naval. [22]

A Resolução da Bandeira não especificava nenhum arranjo particular, número de pontos, nem orientação para as estrelas e o arranjo ou se a bandeira deveria ter sete listras vermelhas e seis brancas ou vice-versa. [23] A aparência cabia ao fabricante da bandeira. Alguns fabricantes de bandeiras organizaram as estrelas em uma grande estrela, em um círculo ou em fileiras e alguns substituíram a estrela de um estado pela inicial. [24] Um arranjo apresenta 13 estrelas de cinco pontas dispostas em um círculo, com as estrelas dispostas apontando para fora do círculo (em oposição a para cima), a chamada bandeira Betsy Ross. Os especialistas dataram o primeiro exemplo conhecido desta bandeira como sendo 1792 em uma pintura de John Trumbull. [25]


2.5: Estrelas e Barras

As patentes da Marinha não são tão difíceis de aprender quanto parecem, e conhecê-las o manterá fora de problemas.

E-2 = 2 tiras e, em seguida, basta adicionar outra para E-3.

Oficiais subalternos têm a mesma coisa. Basta adicionar um Chevron conforme você vai de E-4 para E-6.

Chefes fazem mais ou menos a mesma coisa. Continue adicionando uma estrela conforme eles sobem na classificação. Chiefs recebem uma âncora, Senior Chiefs uma estrela e Master Chiefs duas estrelas. Preste atenção ao fato de que Fleet e Force Master Chiefs são duas fileiras separadas, mas usam a mesma insígnia.

Você vai descobrir. Eu nem sabia o que era um suboficial quando cheguei ao RTC em 2005, mas aprendo rápido e aprendi com facilidade. Para o tipo de pessoa que está pesquisando no BootCamp4Me e em outros sites, vocês estão indo além do esperado e isso é ótimo! Então comece a estudar.

Nível salarial Classificação Insígnia de ombro Descrição falada Dispositivo de colar Descrição do dispositivo de colar
Navy Enlisted Ranks e amp Insignia
E-1 Seaman Recruit (SR) Sem insígnia Sem descrição Sem descrição Sem descrição
E-2 Marinheiro Aprendiz (SA) 2 LISTRAS DIAGONAIS 2 LISTRAS DIAGONAIS
E-3 Marinheiro (SN) 3 LISTRAS DIAGONAIS 3 LISTRAS DIAGONAIS
E-4 Suboficial 3ª classe (PO3) ÁGUIA EMPOURADA, MARCA DE ESPECIALIDADE, 1 CHEVRON ÁGUIA EMPOURRADA, 1 CHEVRON
E-5 Suboficial de 2ª classe (PO2) ÁGUIA EMPOURADA, MARCA DE ESPECIALIDADE, 2 CHEVRONS ÁGUIA EMPOURRADA, 2 CHEVRONS
E-6 Suboficial de 1ª classe (PO1) ÁGUIA EMPOURADA, MARCA DE ESPECIALIDADE, 3 CHEVRONS ÁGUIA empoleirada, 3 CHEVRONS
E-7 Chief Petty Officer (CPO) ÁGUIA EMPOURADA, MARCA DE ESPECIALIDADE, 3 CHEVRONS, 1 ROCKER ÂNCORA FUNDADA POR OURO, PRATA SUPER IMPOSTA USN
E-8 Suboficial sênior (SCPO) ÁGUIA EMPOURADA, MARCA DE ESPECIALIDADE, 3 CHEVRONS, 1 BALANCIM, 1 ESTRELA DE PRATA ÂNCORA FUNDADA DE OURO, USN SUPER IMPOSTO DE PRATA, 1 ESTRELA DE PRATA
E-9 Master Chief Subty Officer (MCPO) ÁGUIA EMPOURADA, MARCA DE ESPECIALIDADE, 3 CHEVRONS, 1 BALANCIM, 2 ESTRELAS DE PRATA ÂNCORA FUNDADA DE OURO, USN SUPER IMPOSTO DE PRATA, 2 ESTRELAS DE PRATA
E-9 Suboficial de Comando (MCPO) ÁGUIA EMPOURADA, 1 ESTRELA DE PRATA EM LIEU DE MARCA DE ESPECIALIDADE, 3 CHEVRONS, 1 ROCKER, 2 ESTRELAS DE PRATA ÂNCORA FUNDADA DE OURO, USN SUPER IMPOSTO DE PRATA, 2 ESTRELAS DE PRATA
E-9 Comandante-chefe da Fleet-Force Master ÁGUIA EMPOURADA, 1 ESTRELA DE OURO EM LIEU DE MARCA DE ESPECIALIDADE, 3 CHEVRONS, 1 ROCKER, 2 ESTRELAS DE OURO ÂNCORA FUNDADA DE OURO, USN SUPER IMPOSTO DE PRATA, 2 ESTRELAS DE PRATA
E-9 Master Chief Suboficial da Marinha (MCPON) ÁGUIA EMPOURADA, 1 ESTRELA DE OURO EM LIEU DE MARCA DE ESPECIALIDADE, 3 CHEVRONS, 1 ROCKER, 3 ESTRELAS DE OURO ÂNCORA FUNDADA DE OURO, USN SUPER IMPOSTO DE PRATA, 3 ESTRELAS DE PRATA

Algumas diferenças

A Marinha muda a cor de seus níveis salariais mais baixos para ajudar no reconhecimento. Uma vez que vocês não são oficiais subalternos e não têm sua taxa em suas mangas, a Marinha usa cores para indicar sua posição na equipe.

Por exemplo, digamos que seu trabalho seja trabalhar em aviões, se você for um E-2 / E-3 ao se formar no treinamento básico, terá um patch verde em seu uniforme. Mesma diferença se você é bombeiro ou construtor. Todo mundo fica com o preto e branco.

Nível salarial Classificação Patch regular Homem da construção Aviador Bombeiro
Navy Enlisted Ranks e amp Insignia
E-2 Marinheiro Aprendiz (SA)
E-3 Marinheiro (SN)


O Melhor Bar do Mundo: As melhores experiências de coquetéis

Cloud 9 Sky Bar e amp Lounge Certificado
O melhor bar do mundo

Mo Bar Certificado
O melhor bar do mundo

Não. Certificado
O melhor bar do mundo

Nui. Hostel & Bar Lounge Certificado
O melhor bar do mundo

Jeremiah Tokyo Certificado
O melhor bar do mundo

Coquetéis INC Certificado
O melhor bar do mundo


Stars and Bars (1984)

Inscreva-se no LibraryThing para descobrir se você gosta deste livro.

Não há conversas atuais sobre este livro.

Nunca cheguei a um acordo com este romance, o que me surpreendeu, pois sou um grande fã dos livros de William Boyd. Também tenho quase certeza de já ter lido esse romance antes, mas não me lembrava do enredo.

Excepcionalmente para William Boyd, é, como o título sugere, ambientado na América e segue as angústias do expatriado inglês, Henderson Dores, enquanto ele se dirige de Nova York para o sul americano. Ele tem a missão de revisar a coleção de pinturas impressionistas de um milionário excêntrico, com o objetivo de realizar uma venda por meio da concessionária de arte para a qual trabalha.

Dores tem várias semelhanças com Morgan Leafy, protagonista homônimo de A Good Man in Africa. Como Leafy, ele se encontra incessantemente manipulado por seus associados para fazer todo tipo de coisa contra sua vontade, enquanto todos os seus próprios planos bem elaborados giram com frequência, e severamente, agley.

Infelizmente, apesar de todo esse material promissor, o romance simplesmente não funcionou para mim. Acho que o cenário do sul e os traços de personalidade de Dores eram um pouco exagerados demais para eu aceitar. ()

“O melhor muitas vezes parece o pior”
- William Boyd

Henderson Dores, um historiador da arte inglês que se aproxima rapidamente dos 40, mudou-se para Nova York na crença de que a América mudará não apenas sua vida, mas também seu caráter. Lá, ele trabalha para uma casa de leilões como avaliador. Henderson é um cavalheiro britânico normalmente inepto estereofônico que constantemente errou o alvo e se meteu em situações embaraçosas inteiramente devido à sua própria culpa. Em Nova York, ele voltou a noivado com sua ex-mulher, mas também está envolvido em um caso clandestino com outra mulher. Quando ele é enviado para o sul profundo para avaliar a coleção de pinturas de um recluso idoso, ele se envolve com a família maluca dos reclusos e se enreda em suas travessuras. Essas pessoas, o pai espinhoso, o filho zangado e sua esposa sulista, a filha enigmática, o veterano do Vietnã, a governanta truculenta e seu filho também podem ser vistos como bastante estereotípicos.

Agora, embora eu tenha gostado bastante deste livro e ele me fez sorrir, se não realmente rir, eu senti que havia algumas deficiências. Pessoalmente, eu achava que Henderson era muito inocente, muito educado e bem-educado para expressar qualquer coisa além de perplexidade. Eu senti que o autor estava tentando se apegar tão rigidamente ao tipo estéreo que ele imaginou que ele impediu o personagem de realmente se formar. Na verdade, eu só queria gritar com ele "para crescer um par e um homem". Também achei o filho mais velho zangado muito previsível e não fiquei surpreso em saber por que ele não gostava de Henderson. No entanto, como eu disse, aconteceu em pelo menos me faça sorrir, então isso não pode ser ruim. ()


Castelo Mundial - (32 estrelas, 8 selos)

Fonte: iMore

As coisas começam a esquentar assim que chegarmos ao Castelo Mundial. Nos 12 campos localizados aqui, você encontrará um total de 32 Estrelas Verdes e oito Selos. Veja como obter todos eles.

Castelo Mundial-1: Fort Fire Bros (3 estrelas, 1 carimbo)

Estrela 1: Mova-se até chegar à área onde um Fire Bro está jogando bolas de fogo pelo cano transparente. Espere que eles pularem e então imediatamente entre no cano e zagueie até a área do meio para agarrar a estrela. Se quiser, você pode caminhar ao longo do topo do cano primeiro e derrotar o Martelo Bro antes de obter a Estrela.

Carimbo: Após a área com a primeira estrela, você verá dois obstáculos giratórios em forma de bola de fogo originando-se de? Blocos. Ground Pound o segundo bloco e ele subirá, trazendo você para o Stamp.

Estrela 2: Na próxima seção, logo após a bandeira do ponto de verificação, suba no topo do tubo transparente e pule para o primeiro Thwomp. Então, pule até o topo da parede e siga para a esquerda e através de um tubo verde. Quando você pisar no interruptor P azul nesta sala, uma bola verde começará a rolar pelas plataformas na parede à sua frente. Pule nos momentos certos para balançar os Painéis Vermelho-Azul de forma que eles conduzam a bola para o Painel P no canto inferior esquerdo. Então a estrela será sua.

Estrela 3: Agora volte para onde você estava antes e passe direto pelos Thwomps. Você verá um Green Star Ring em uma plataforma redonda. Reúna rapidamente as oito moedas verdes para obter sua estrela.

Castelo Mundial-2: Ruínas Switchblack (3 estrelas, 1 carimbo)

Dica profissional: Para coletar as estrelas e o carimbo, você precisará da ajuda de um power-up Fire Flower.

Estrela 1: Correr pelas cavernas pegando power-ups? Bloqueios e pisando em frente? Alterna até chegar à área escura com três inimigos Spike. Há quatro tochas para acender nesta sala. Lance bolas de fogo nos espinhos para se livrar deles e acenda o fogo para fazer uma estrela aparecer no centro da sala.

Estrela 2: Pouco depois de chegar à bandeira do posto de controle, continue à direita e abaixe-se sob o caminho da passagem oculta para uma sala com a próxima Estrela Verde.

Carimbo: Continue até chegar a uma plataforma amarela sobre a lava. A plataforma o levará para a direita. Em vez de passar pela abertura à sua frente, pule para a direita e pegue o Selo primeiro.

Estrela 3: Logo após a sala com as quatro seções separadas de? Switches, você verá um tubo verde. Em vez de pular nele, vá atrás dele e pule para revelar um oculto? Quadra. Agora suba em cima dele e pule na saliência acima para pegar a última estrela.

World Castle-3: Red Hot Run (3 estrelas, 1 carimbo)

Este nível pode ser difícil de passar. Se você estiver tendo dificuldades, sugiro jogar como Peach, pois ela pode flutuar por mais tempo no ar e é mais fácil corrigir onde ela cai.

Estrela 1: Avance seguindo o lado direito das vias disponíveis. Você precisará pular logo após um Painel de Traço para chegar à primeira Estrela Verde.

Estrela 2: Na próxima área, corra através do Green Star Ring e então corra ao redor do próximo quadrado para pegar todas as moedas verdes. Depois de coletar todos eles, a estrela aparecerá.

Carimbo: Continue em frente e pule imediatamente no caminho da extrema esquerda. Pule logo após um Painel de Traço para se lançar sobre uma lacuna e agarre o Selo.

Estrela 3: Depois de pegar o carimbo, você precisará fazer o seu caminho para o caminho do centro. Cronometre seus saltos de acordo para passar pelos rolos de espinhos giratórios e agarre a última estrela.

World Castle-4: Bully Bell azul fervente (3 estrelas, 1 carimbo)

Estrela 1: Siga as plataformas de flechas subindo e descendo até chegar à área com o Green Star Ring. Espere até que as plataformas próximas a você sejam elevadas e então passe pelo anel. Corra pelas plataformas para coletar todas as oito moedas verdes para obter sua estrela.

Carimbo: O Selo está localizado na próxima seção das plataformas de setas ascendentes e descendentes. Corra ao longo desses blocos e então pule para a esquerda para pousar em uma ilha com o Selo. Para sair, espere que as plataformas próximas a você se levantem novamente e continue correndo ao longo delas.

Estrela 2: Conforme você se esquiva sobre os rolos de espinhos em seu caminho sobre as plataformas de flechas, você verá uma Warp Box rosa à sua esquerda. Pule para dentro. Empurre o valentão para fora da saliência em 10 segundos para ganhar uma estrela. Se você quiser fazer isso muito rápido, sugiro ligar com uma Flor de Fogo e jogar bolas de fogo no Bully assim que você chegar.

Estrela 3: Passe a bandeira do checkpoint e continue à direita. Você verá três plataformas de pedra cilíndricas com rolos de espinhos orbitando-as. O terceiro cilindro tem um cilindro menor preso a ele com uma estrela verde flutuando acima dele. Pegue-o para receber seu prêmio.

Para chegar ao mastro da bandeira e terminar o nível, primeiro você precisa derrotar os três valentões. Se você tiver Fire Flowers, lance bolas de fogo até que caiam na lava azul. Se não, salte sobre eles repetidamente até que caiam. Um caminho aparecerá, levando você ao mastro da bandeira.

World Castle-5: Trick Trap Tower (3 estrelas, 1 carimbo)

Estrela 1: Faça o seu caminho através da pista de obstáculos e chegue ao topo da estrutura. Você precisará derrotar os Magikoopas para fazer uma estrela aparecer. Se você tiver uma Flor de Fogo, será muito mais fácil derrotá-los.

Carimbo: Enquanto estiver no topo da primeira estrutura onde você derrotou os Magikoopas, desça no lado esquerdo para alcançar o Selo.

Estrela 2: Ground pound enquanto está nas plataformas de nuvem onde você encontrou o Stamp para alcançar a Star.

Estrela 3: Mais uma vez, suba no topo da estrutura e suba no elevador para a próxima seção. Você precisará coletar as cinco moedas-chave para destravar a Warp Box na parte inferior. Eles estarão ao longo das rampas e caminhos conforme você avança pela estrutura. Quando você estiver enfrentando a quarta Key Coin, você notará que existem alguns blocos de tijolos ao longo da parede. Use suas garras de gato para arranhá-los e passar pela abertura para encontrar a última estrela.

When you've snagged the last Key Coin the Warp Box will unlock, but you'll need to hurry up and dash out of the structure before the Fuzzy Horde touches you or else you'll die.

World Castle-6: Rammerhead Reef (3 Stars, 1 Stamp)

Pro Tip: It's a lot easier to get these collectibles if you have Fire Flower powers.

Star 1: Head right until you see a row of four boxes. Destroy them to reveal a hidden Green Star.

Star 2: Go through the pipe on the far end and you'll come to an area where Rammerheads are rotating around a wall of stone. One of them has a Green Star trailing after it in a bubble. To make things easy, stand on the platform next to where they pass by and then hurl a fireball at the Green Star bubble to free it. Now snag the Star and safely swim out of there.

Star 3: After passing the checkpoint, cross the land and enter the pipe at the end. You'll find yourself once more underwater. You'll find two circular rooms with Rammerheads swimming around them like a propeller. In the second room, swim into the opening in the wall with the clear pipe. Throw fireballs at the spikes to clear them. All that's left is to go through the pipe to grab your Star.

Stamp: When you get to the room with three rows of Rammerheads swimming up and down, use the first opening to go up a little ways and grab the Stamp. Wait for a good moment and continue right.

World Castle-7: Simmering Lava Lake (3 Stars, 1 Stamp)

Pro Tip: Boomerang Flowers will help you keep rolling Splorch enemies away while you run through the level.

Star 1: Move along to the right but make sure to always be on a higher green platform whenever the lava rises. Hit ? Blocks along the way and get a Boomerang Flower. When you get to the area with two rolling Splorchs, jump onto the green platform that goes away from the camera and throw a Boomerang to get the Star floating over lava on the right.

Star 2: Continue along until you see a Green Star Ring on the left. Quickly run around dodging rolling Splorch enemies and collect all eight Green Coins to unlock your Green Star.

Stamp: Pass the checkpoint and get to the green platform that has a ? Block on either side. Wait for the lava to go down and then jump down under the grate to grab your Stamp. Hot foot it out of there so you don't get burned.

Star 3: Instead of continuing on to the green pipe, jump onto the grated platform on your left that leads to the center of the area. A Green Star is floating above a green platform in the center. Once you've claimed it, head through the pipe.

World Castle-A: Brolder Blockade is Back (1 Star)

Star 1: This battle ought to look a little familiar since it's a beefed up boss fight from World 4. To defeat Boss Brolder, dodge around the fiery Splorch enemies and ground pound on a small Brolder. Now throw the smaller Brolder at the Boss Brolder to hurt the big lug. Repeat two more times to defeat him and get your Star. If you have Fire Flower powers, you can also throw fireballs at the smaller Brolders and they will be ready to pick up.

World Castle-B: Prince Bully Blockade is back (1 Star)

Star 1: Just like before, you need to pound Prince Bully into a clear pipe and then jump on him when he shoots out in cylindrical shape. Do this three times to beat him and get the Green Star. But be wary: He'll try to blow blue fireballs at you in between thrashings.

World Castle-C: Fire Bros. Hideout #4 (1 Star)

Star 1: Getting this Green Star requires that you defeat seven Fire Bros. enemies. To make things easier, it's best to enter the pipe while powered-up with a Fire Flower. Hurl fireballs at your enemies and dodge their attacks to defeat them all.

World Castle-Toad: Captain Toad Gets Thwomped (5 Stars)

Star 1: Walk along the arrow escalator and grab the Star behind the Thwomp.

Star 2: Continue around the next two corners and head into the middle opening. Get on top of the Thwomp and ride up. Head left and grab the next Star.

Star 3: Without dropping down, make your way under the solo Thwomp and onto the heads of the two Thwomps moving up and down next to each other. Walk over their heads on onto the next platform. Walk along the arrow escalator being careful not to get hit by Bullet Bills and snag the Star on Toad's left.

Star 4: Carefully time you movements and pass the cannons. When the nearby Thwomp rises up, grab the Star from his head.

Star 5: Pass through the small cave nearby and get on top of the Thwomp's head. Ride up and get on the highest level. Just after the Bullet Bill launches, quickly walk after it and fall into the hole at the end to get the last Star.

World Castle-Castle: Bowser's Lava Lake Keep (3 Stars, 1 Stamp)

Star 1: Move along defeating enemies until you get to the area with a brick block with rotating flames. On the left just above the lava you'll see a Green Star. Jump so that you're sliding down the wall on the left and then wall jump back up to safety right before touching the lava.

Stamp: In the next area, you'll see a cannon that is shooting out Kick Bombs. Hit it into the tall stack of brick blocks in the back to reveal a P Switch. DO NOT PRESS IT YET. First, wall jump up to the top of this gap to grab the Stamp. Do not press the P Switch when you come back down.

Star 2: You'll need to have cat powers with the help of a Super Bell to reach this one. Just above the Kick Bomb cannon, there's a grate that stands straight up. Climb up to the top to grab a Star.

Star 3: Now jump on the P Switch to lower the grate and walk across. Keep going and pass the checkpoint flag. Shortly after that, you'll see a Green Star floating over lava in the distance. Use a Boomerang Flower power-up to hurl a Boomerang at it before continuing on.

Bowser Boss battle: He's easier to beat if you have cat or boomerang powers. Follow after Bowser, dodging his fireballs and the spikes along the way. Launch any soccerball-shaped Kick Bombs he releases back at him. If a Kick Bomb is flashing red, stay away and let it explode. You'll need to make him fall on his back three times to beat him.

All Stars in Super Mario 3D World + Bowser's Fury


The Milky Way

Because we dwell within the Milky Way Galaxy, it is impossible for us to take a picture of its spiral structure from the outside. But we do know that our Milky Way has a spiral nature from observations made from within our Galaxy (though whether or not it is a barred spiral is still being debated). To represent this, the beautiful spiral galaxy Messier 74 was used, as it thought to be a similar galaxy to ours.

Below is a picture of the real Milky Way taken by the satellite COBE. The disk and center region of our Galaxy are readily recognizable. This image makes the Milky Way appear much more galaxy-like and less like the smudge of stars we see stretching across our night sky. It is possible to imagine what our Milky Way might look like looking down on it from outside.

Distance Information

Although the light year is a commonly used unit, astronomers prefer a different unit called the parsec (pc). A parsec, equal to 3.26 light years, is defined as the distance at which 1 Astronomical Unit subtends an angle of 1 second of arc (1/3600 of a degree) When we use the parsec for really large distances, we often put a prefix in front of it - like kiloparsecs (kpc), which are equal to 1000 parsecs - or Megaparsecs (Mpc), equal to a million parsecs.

The Milky Way is about 1,000,000,000,000,000,000 km (about 100,000 light years or about 30 kpc) across. The Sun does not lie near the center of our Galaxy. It lies about 8 kpc from the center on what is known as the Orion Arm of the Milky Way.

How Do We Calculate Distances of This Magnitude

Parallaxes give us distances to stars up to perhaps a few thousand light years. Beyond that distance, parallaxes are so small than they cannot be measured with contemporary instruments. Astronomers use more indirect methods beyond a few thousand light years.

The methods to measure stellar distances greater than a few thousand light years include:

Proper motions: All stars move across the sky, but only for nearby stars are these motions perceivable, and even then it takes decades or centuries to measure. Statistically, stars move at about the same rate therefore, the stars that appear to have larger motions are nearer. By measuring the motions of a large number of stars of a given class, we can estimate their average distance from their average motion.

Moving clusters: Clusters of stars, such as the Pleiades and Hyades star clusters, travel together. Analyzing the apparent motion of the cluster can give us the distance to it.

Interstellar lines: The space between stars is not empty, but contains a sparse distribution of gas. Sometimes this leaves absorption lines in the spectrum we observe from stars that lie beyond the interstellar gas. (Absorption lines are colors missing in a continuous spectrum because of their absorption by atoms or ions. The spectrum is the array of colors or wavelengths that is obtained when light is dispersed.) The further a star is, the more absorption will be observed, since the light has passed through more of the interstellar medium.

Inverse-square law: The apparent brightness or magnitude of a star depends both on its intrinsic brightness or luminosity (how bright the star actually is rather than how bright it seems) and its distance from us. The inverse-square law says that the flux from a luminous object decreases as the square of its distance. If we know the luminosity of a star (for instance, we have a measured parallax for one star of the same type and know that others of the same type will have similar luminosities), we can measure its apparent brightness and then solve for its distance. There are several variations on this, many of which are used to measure distances to stars in other galaxies.

Period-luminosity relation: Some stars are regular pulsators, meaning their intensity changes periodically. The physics of their pulsations is such that the period of one oscillation is related to the luminosity of the star. If we measure the period of such a star, we can calculate its luminosity. From this, and its apparent magnitude, we can calculate its distance. The period-luminosity relation was discovered by Henrietta Swan Leavitt in 1908 when she was studying Cepheid Variable stars in the Magellanic Clouds. Cepheids, named after Delta Cephei, the first and most luminous of its class to be identified, make excellent distance indicators, because of their periodicity and extraordinary brightness. Not only can they be found at the far reaches of our Galaxy, they can also be resolved in galaxies outside of our own. The most luminous Cepheids can be used to estimate distances to objects as far as 12,000,000 light years away.

There are complications in using the period-luminosity relationship. First, the relationship itself depends on the chemical composition of the star. Secondly, the absorption of certain wavelengths of light by the interstellar medium can affect the apparent brightness of the star and therefore must be accounted for. Even with these (and other) complications, Cepheid Variables provide an excellent way to measure the relative distances. To convert to absolute distances, we ideally need to measure the distance to a nearby Cepheid with another, more direct, method. There is much debate at present in this area, in particular regarding the Hipparcos measurements of distances to nearby Cepheids. (See the Nearest Stars page for more information on Hipparcos measurements.)

Interestingly, the size of our own Galaxy was debated for a long while. It was not until early in the 20th century that Harlow Shapley used observations of RR Lyrae variable stars to estimate our Galaxy's size. RR Lyrae stars are similar to Cepheid Variables. They have relatively short periods, typically of about a day or less, and all RR Lyrae stars have approximately the same luminosity. Typically, RR Lyrae stars are less luminous than Cepheids, but they are much more common. Globular clusters of stars - swarms of old stars tightly bound together by gravity and orbiting at the outskirts of galaxies, contain many variable stars, including RR Lyraes.

Shapley was able use these to find the distance to the globular clusters that surround our Galaxy. Not only were the globular clusters great distances away, but the Sun did not lie at the center of their distribution, which placed the Sun far from the center of the Galaxy. Shapley's first estimate of the radius of the Milky Way was off by a factor of 2, but he made an important first step in understanding the nature of our Galaxy.

Several more modern methods have been used to map our Galaxy more accurately. The neutral hydrogen gas in our Galaxy emits light at a wavelength of 21 cm while this light is invisible to our eyes, it is observable to radio telescopes. Other molecules like carbon monoxide also emit radio waves. This is very helpful for mapping the disk portion of our Galaxy.

Why Are These Distances Important To Astronomers?

Distance is a useful tool on the galactic scale. If you can measure the average speed of stars as they move around the Galactic Center and their distance from the Galactic Center, you can make a plot called a "rotation curve". The rotation curve, which describes the motion of the galaxy can be used to determine the amount of mass within a given radius from the center. The predicted rotation curves for many galaxies (in particular, spiral galaxies like the Milky Way) don't match the observed ones, which led to the discovery of dark matter as an explanation for this discrepancy. It is thought that these galaxies consist of a large, round halo of dark matter, with the visible matter concentrated in a disk at its center.

Travel Time

The Voyager spacecraft is traveling away from the Sun at a rate of 17.3 km/s. If Voyager were to travel to the center of our Galaxy, it would take more than 450,000,000 years to travel the 8 kpc. If it could travel at the speed of light, an impossibility due to Special Relativity, it would still take over 26,000 years to arrive!

At 17.3 km/s, it would take Voyager over1,700,000,000 years to traverse the entire length of the Milky Way. Even traveling at the speed of light, it would take nearly a hundred thousand years!


Assista o vídeo: Como foi o final de semana delea. Bora lá saber. (Novembro 2021).